Etiqueta: nº 81

(sem título), Hélder António Abreu Vitorino

«...diante do espelho no / meu quarto os meus gestos perdem a singularidade habitual / o meu rosto lívido frágil refletindo-se é mesma / versão de mim próprio colada...»

Poemas Omero I e III de Giosuè Carducci

Tradução do italiano por Ana Margarida Silva.

Coming of Age in Tórshavn: A Review of William Heinesen’s The Tower at the Edge of the World

Recensão de Theo Howe sobre o livro The Tower At the Edge of the World, do escritor feroês WIlliam Heinesen.

RGA 2021, David Frazer

«...um espetáculo magnânimo, uma orquestra de caos, um crepúsculo dos deuses entre os mortais – o mais belo espetáculo onde ninguém foi público,  ou tal se julgava…»

As presenças de José Régio

«"Falar de José Régio é falar de Presença": eis um dos muitos lugares-comuns aplicados à literatura portuguesa, criticados justamente por generalizarem e simplificarem demasiado a obra dos autores em questão. Contudo, neste caso específico o truísmo pode tornar-se interessante, se considerarmos as várias dimensões que o conceito de presença abrange na literatura regiana.» Texto de António M. Pereira.

Boy meets girl, Adolfo Rolando Dias

«São coisas que o Negócio / só sabe de uma única fonte, / desta época, à sua frente: / e A Lua e A Estrada / chegaram a um erro sobre o Homem.»

O rio, José Maria Pinheiro de Souza Neto

«...A Verdade me disse que não poderia permanecer e saiu nadando, deixando-me só; mas, agora que sabia de sua existência, poderia procurá-la ao beber da água do rio no meu cantil. Finalmente conheceria o desconhecido, enfrentaria a floresta e voltaria para casa...»