Etiqueta: Literatura

Da Imprevisibilidade, n’O Tempo de Sua Graça, Rodrigo Furtado

Texto do Professor Doutor Rodrigo Furtado Cruzam-se várias histórias n’O tempo de sua Graça (1960) do sueco Eyvind Johnson (1900-1976). Em primeiro lugar, a história da tempestade de fim de Quaresma que marcará para sempre o futuro das personagens: o de Perto, ou Joahnnes Lupigis, cuja vida constitui o fio condutor da narrativa; mas também ...

O silêncio de Cordélia, João N. S. Almeida

Imagem: King Lear and Cordelia (1849-54) do pintor Ford Madox Brown (1821-1893) Ensaio de João N. S. Almeida Logo na primeira cena da tragédia shakespereana King Lear, o velho rei, vendo aproximar-se a hora da morte e o momento emocional e burocraticamente terrível das partilhas, pede às suas três filhas que verbalizem o amor que ...

Viagem ao Cristal, Bernardo Ferreira

Ensaio de Bernardo Ferreira Um diamante e uma faca. Os dois objectos entrevistos pelo narrador de The Man in the Crowd de Poe, escondidos debaixo do sobretudo do homem que ele persegue pelas ruas escuras de Londres, poderiam oferecer-se como pistas nesta breve história proto-detetivesca – socorrendo um par narrador e leitor que se descobriu, ...

A vocação poética de Karol Wojtyła, Andreas Gonçalves Lind, SJ

Imagem: Karol Wojtyła numas férias de canoagem, fotografia de autor desconhecido (c. 1950-60), retirada do livro de Mieczysław Maliński, Najchętniej grał na bramce (Varsóvia: Wydawnictwo Sióstr Loretanek, 1985) Ensaio de Andreas Gonçalves Lind, SJ Nasci durante a década de oitenta do século passado. Quando vim ao mundo, Karol Wojtyla já era João Paulo II. E ...

Lamúria sobre os seus sofrimentos, Gregório de Nazianzo

Tradução do grego por Duarte dos Anjos.

Poemas Omero I e III de Giosuè Carducci

Tradução do italiano por Ana Margarida Silva.

Coming of Age in Tórshavn: A Review of William Heinesen’s The Tower at the Edge of the World

Recensão de Theo Howe sobre o livro The Tower At the Edge of the World, do escritor feroês WIlliam Heinesen.

As presenças de José Régio

«"Falar de José Régio é falar de Presença": eis um dos muitos lugares-comuns aplicados à literatura portuguesa, criticados justamente por generalizarem e simplificarem demasiado a obra dos autores em questão. Contudo, neste caso específico o truísmo pode tornar-se interessante, se considerarmos as várias dimensões que o conceito de presença abrange na literatura regiana.» Texto de António M. Pereira.

Viagem a Amarante, Cecília Sobral + Sobre Pascoaes, Sofia A. Carvalho

Uma colaboração em torno de Amarante, com fotografia de Cecília Sobral e um ensaio de Sofia A. Carvalho sobre Teixeira de Pascoaes.