Categoria: Contos

Zoom…Back…Camera!, Grayson Elorreaga

Image: (above) Self-Portrait with the Spanish Flu (1919) and (below) Melancholy (1892), by Edvard Munch (1863-1944). Both paintings are at the Nasjonalgalleriet, Oslo. Short story by Grayson Elorreaga. One quiet Monday night, right after eight o’clock, I came home from work to discover that my wife was fucking visionary Chilean surrealist director Alejandro Jodorowski. Initially, ...

A Epopeia, José Maria Pinheiro de Souza Neto

Conto de José Maria Pinheiro de Souza Neto I Ao porto desce a embarcação entre chocalhos de um mar raso, na costa de maresia e pequenas inclinações, o barco lentamente se aproxima. Joga-se a corda, despede da âncora, se firma no ambiente costeiro. Antes do grande mergulho ao solo, o marinheiro desprende do mar. Encontrando ...

O Comediante entre os Lobos e o Não-Existir, Luís G. Rodrigues

Conto de Luís G. Rodrigues A manhã estava cansada como sempre. Os carros passavam, os táxis businavam e os aviões faziam aquele barulho ensurdecedor que não parece apoquentar ninguém. No cerne de tanto movimento exausto, estava o Comediante, mais uma vez a caminho do seu escritório, ajudando no processo exaustivo que torna a manhã tão ...

Sobre comichão e um croissant de chocolate, António M. Pereira

«Para certas pessoas, tudo o que é ruim é uma boa metáfora para a vida.»

O Negócio, André Fontes

«São muitas as maravilhas desse cantinho tão maravilhoso do mundo: o centro comercial. É só comprar e sentir; um gajo sente-se realmente melhor, digo-vos. Sente-se como que equipado para a posteridade. Mais bonito. Mais cheiroso. Mais culto. Mais confiante. Capaz de amar o mundo.»

Lixo, Sybil Vachaudez

«Há alguns dias que esperava por uma flor mais bonita, mas até agora o elemento mais intrigante do meu jardim era apenas um conjunto de garfos.»

O rio, José Maria Pinheiro de Souza Neto

«...A Verdade me disse que não poderia permanecer e saiu nadando, deixando-me só; mas, agora que sabia de sua existência, poderia procurá-la ao beber da água do rio no meu cantil. Finalmente conheceria o desconhecido, enfrentaria a floresta e voltaria para casa...»

A lagosta, Camila Santuri

«...assim como a lagosta está morta, eu estou órfã, foi quase um silogismo. Agora, largue-me!»

Bola de Berlim, José Maria Pinheiro de Souza Neto

Foto de Claudina Diego Seu João sentou-se sozinho na cadeira de uma pracinha, retirou de um estojo o cachimbo, as mãos trémulas acenderam o fósforo que pôs fogo no tabaco. Segurando o fornilho quente numa tarde de outono, pensou em silêncio. Já uma vez desisti de meus sonhos. Um dia, eu cresci até alcançar o ...

Por um cêntimo, um punhado de jasmim, Rita Ferreira

Foto por Claudina Diego O sol ainda não tinha começado a raiar e já o cheiro de jasmim se elevava até à janela onde Fernanda aguardava a hora de sair de casa, com a cabeça afundada nos braços e um cigarro que se ardia sozinho entre os dedos. Mala só fora necessária uma, para já. ...