[sem título], António Pereira

Vou embriagar-me a sorver a réstia de vinho
Que jaz na rolha de cortiça que me ofereceste.

Depois vou emoldurá-la
Em honra de todas as garrafas cheias
Que a minha sede entornou.

António Pereira

%d bloggers like this: